website metrics Pensamentos: Setembro 2005

terça-feira, setembro 27, 2005

Mais um !!!

terça-feira, setembro 20, 2005

Manhã de Setembro

Num dia em que o sol raiou, a praia estava quase deserta.
Foi a primeira vez este ano, a primeira vez que mergulhei nas ondas frias e senti o sal entranhar-se na pele. Ofegante, mais de frio do que de cansaço, deitei-me na toalha, acariciada pelo sol morno. As gaivotas andavam por ali, rasavam a toalha, desenhavam sombras na areia. E a minha máquina fotográfica que não chega!
E ali, na praia quase deserta, tive a certeza de desejar que a vida fosse só aquele momento.

domingo, setembro 18, 2005

Cansaço?

Não, não é cansaço...
É uma quantidade de desilusão
Que se me entranha na espécie de pensar.
É um domingo às avessas
Do sentimento,
Um feriado passado no abismo...
Não, cansaço não é...
É eu estar existindo
E também o mundo,
Com tudo aquilo que contém,
Como tudo aquilo que nele se desdobra
E afinal é a mesma coisa variada em cópias iguais.
Álvaro de Campos

sábado, setembro 17, 2005

O Abismo

Vale Glaciar, Serra da Estrela

sexta-feira, setembro 16, 2005

Os Pássaros

A primeira vez que o vi tinha 16 anos. Nunca mais hei-de esquecer Tippi Hedren a subir as escadas, rodar a maçaneta e a sequência que se seguiu. O Jornal Público fez-me relembrar essa sequência."Entre duas rajadas de vento, as bicadas ecoam contra os vidros. Serão bandos de pássaros à procura de um abrigo contra o frio? Não, são ondas de assaltos que tentam dizimar o inimigo: os pássaros declararam guerra aos homens".
in: Os Pássaros, Alfred Hitchcock

quinta-feira, setembro 15, 2005

(In)Decisões

Há três dias que dormia apenas uma ou duas horas. Enquanto havia luz era preciso organizar, preparar, produzir; à noite tudo parava, para ver a película rodar no magazin e registar momentos de magia.
Os actores estão a posto, vestidos e maquilhados, a iluminação está ligada, todos se retiram do set. O Realizador está em frente ao monitor, ao lado está a anotadora, em volta do set posiciona-se a câmara, assistentes de imagem, chefe de produção… de repente, ninguém respira:
- Câmara? – grita o realizador, para logo se ouvir o assistente.
- Pronto!
- Som?
- A rolar! – diz o Gita.
Ninguém anda, ninguém se mexe, mal se ouve o ar entrar nos pulmões…
- Acção!
E é assim que a película começa a rolar, é assim que se constroem os momentos de magia. 20 mil metros de película exposta, para no fim surgirem 110 minutos de filme. São quase três quilómetros de película que passam na máquina de projecção e reflectem na tela a história da minha experiência no cinema.
Chega hoje às salas portuguesas, depois de sair da minha vida em Outubro do ano passado. Escolhi outro caminho e todos os dias me questiono: - Terei tomado a decisão certa?

quarta-feira, setembro 14, 2005

Ver com o coração


"Anda, vai ver outra vez as rosas. Vais perceber que a tua é única no mundo. Quando vieres ter comigo, dou-te um presente de despedida: conto-te um segredo.
(...)
- Adeus...
- Adeus - disse a raposa. - Vou-te contar o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos...
- O essencial é invisível para os olhos - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer.
- Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer.
- Os homens já se esqueceram desta verdade - disse a raposa. - Mas tu não te deves esquecer dela. Ficas responsável para todo o sempre por aquilo que está preso a ti. Tu és responsável pela tua rosa...
- Sou responsável pela minha rosa... - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer."
in: O Principezinho, Antoine de Saint-Exupéry

terça-feira, setembro 13, 2005

Um Rio

Quando a pá do coveiro se quis enterrar, para tapar a cova onde ficaria sepultado o cadáver de Dito Mariano, embateu numa superfície inexpugnável e rija como aço. A tempestade raiou no céu e um pasmo trespassou os elementos da família presentes no enterro.
Os rumores tomaram conta de "Luar do Chão", a ilha onde o patriarca Dito Mariano era "o homem de todas as mulheres". De quem seria a culpa da terra não abrir, das alterações climatéricas, daquele "riso do Diabo"?
Um Rio..., o "meu" primeiro filme
(apesar de ser apenas mais um nome nos créditos finais)

segunda-feira, setembro 12, 2005

Estado de Choque

"Nós, jornalistas, não existimos para noticiar factos confirmados."
Na luta pelas audiências, na procura do "furo" jornalístico, muitas vezes são ultrapassados limites. Mas quando ouço um jornalista, com um cargo de chefia, proferir estas palavras, só posso mesmo ficar em estado de choque.

sábado, setembro 10, 2005

83 mortos?

Onze dias depois do Katrina passar por New Orleans, o balanço oficial regista 83 mortos. Isto porque, segundo o porta-voz dos Serviços de Saúde do Estado da Louisiana, "apenas os corpos já identificados integram a lista oficial de mortos".
Os outros? Os corpos que boiam pelas ruas são indivíduos não identificados.

sexta-feira, setembro 09, 2005

Clipping





















Inimigo Público, pág. 2
9 de Setembro' 2005

Férias

Ainda falta um mês e já só penso nisto...

quinta-feira, setembro 08, 2005

Património hereditário

Começo a achar que a imbecilidade é genética e hereditária.
Barbara Bush, a mãe, não consegue proferir declarações mais inteligentes que as do presidente dos EUA, o filho.
Não seria suficiente o filho conduzir de forma desastrosa a catástrofe de New Orleans, a mãe conseguiu prestar declarações igualmente "devastadoras".
Afinal, tendo em conta que os refugiados que chegam ao Texas são todos "indigentes", "este trabalho (de ajuda aos refugiados) até está a resultar muito bem".
Já se percebe o filho... conhecendo-se a mãe!

quarta-feira, setembro 07, 2005

Boas e Más

Boas Notícias:
- A Noruega é o país mais desenvolvido do Mundo.
- Na Noruega há, praticamente, igualdade entre sexos, pleno emprego e a dívida externa é nula;
- O Japão é o país com maior esperança média de vida (82 anos);
- A Alemanha tem a maior despesa pública com a Saúde;
- Cuba tem o maior número de médicos (591 por 100 mil habitantes);
- O Luxemburgo é campeão de telemóveis (1194 assinaturas por cada mil habitantes).

Más notícias:
- O Níger é o país com menor índice de desenvolvimento humano;
- Dez milhões de crianças por ano não chegam aos cinco anos de idade;
- A Zâmbia tem a menor esperança média de vida (30 anos);
- A despesa actual com a SIDA representa três dias da despesa militar norte-americana;
- Portugal está em 27º lugar (atrás da Eslovénia);
- Na Eritreia não há 1 único telemóvel.

Fonte: relatório de Desenvolvimento Humano da ONU

terça-feira, setembro 06, 2005

As voltas que o Mundo dá

- Tem calma! Um dia a seguir ao outro! - dizia ele, enquanto me olhava, como se estivesse a revelar um segredo.
Eu, de olhos fixos no chão, procurava um ponto de interesse, que servisse de desculpa para não o enfrentar. Mas de repente olhei-o, com uma luz de esperança nos olhos:
- Sabes de alguma coisa? É possível que algo venha a mudar?
Foi a vez dele de desviar o olhar, como se não acreditasse na mentira que ia dizer:
- O Mundo dá muitas voltas!
- Sim! Eu sei! Dá pelo menos 365 voltas por ano sobre si próprio, mais o movimento de tranlação à volta do Sol.
Nessa altura já os dois olhávamos o chão. Ele incapaz de me dar apoio, eu incapaz de o procurar...
Sim! É verdade! O mundo dá muitas voltas, tal como o carrossel em que eu andava, quando era criança. Mas por muitas voltas que desse, acabava sempre encavalitada na girafa. Aliás, o Mundo dá tantas voltas que, por vezes, até me sinto enjoada.

segunda-feira, setembro 05, 2005

Regresso


Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

in: Poema de Natal, Vinicius de Moraes

domingo, setembro 04, 2005

A canção desesperada

... num dia de desespero

Aparece tua recordação da noite em que estou.
O rio reúne-se ao mar seu lamento obstinado.

Abandonado como o impulso das auroras.
É a hora de partir, oh abandonado!

(...)
Tudo que o bebeste, como a distância.
Como o mar, como o tempo. Tudo em ti foi naufrágio!

(...)
É a hora de partir, a dura e fria hora
que a noite sujeita a todos seus horários.

O cinturão ruidoso do mar da cidade da costa.
Surgem frias estrelas, emigram negros pássaros.

Abandonado como o impulso das auroras.
Somente a sombra tremula se retorce em minhas mãos.

Ah mais além de tudo. Ah mais além de tudo.
É a hora de partir. Oh abandonado.

in: A Canção Desesperada, Pablo Neruda

sábado, setembro 03, 2005

Ciberduvidas

Dúvidas?, tenho muitas... Mas logo na primeira página já fico mais descansada. Afinal, "Ter dúvidas é saber."

- "Tem de se avir comigo" ou "em de se haver comigo";
- Como traduzir "template"?;
- Como se pronuncia "olfactório"?

Dúvidas?, vou continuar a ter, mas enquanto existir o ciberduvidas vou ter onde recorrer.
A petição está em marcha: http://www.petitiononline.com/CIBERDUV/petition.html.

sexta-feira, setembro 02, 2005

Lógica de Mercado

"Portugal vai emprestar 2% das suas reservas aos Estados Unidos, (...) para este fazer face à escassez provocada pelo furacão Katrina."
Lusa

"Os Estados Unidos vão emprestar 9,5 mil milhões de euros a Portugal, para este fazer face ao buraco do défice."
Patrícia

O berço do Jazz

quinta-feira, setembro 01, 2005

(re) definições


Participação especial de Mafaldinha
A gerência agradece o seu contributo para este blog